quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Conversas sobre amor, desprezo e vida...

Mesa de bar, 1 hora da madrugada...
A vida é assim é uma graça, cheia de encanto e beleza, é graciosa. A beleza da vida está em suas constantes transformações, contra-dições. Num dia juras de amor eterno, noutro desprezo.
Cláro que Vínicius estava certo quando declarou amor eterno a todas amantes que esteve com ele... “Que o amor seja eterno enquanto dure”...
Vinicius conhecia bem os movimentos da vida, E era poeta. Os poetas e os profetas conhecem bem a vida, a vida é efêmera, passageira. No texto Sagrado, no Antigo Testamento a vida é uma dádiva da Ruah, do Sopro Santo _a Ruah de Javé _o vento (ar em movimento) é aquele que traz vida que propicia vida, é o principio de vida, o sopro divino, o Vento forte. No texto Sagrado movimento é sinônimo de Vida e Morte é aquilo que está parado, estático.
No mito da criação, o homem era apenas pó da terra, após Deus soprar em suas narinas o pó se enche de vida e se torna “Adan”, que quer dizer humanidade.
Heráclito um filosofo bem antigo, pré-socrático, falava algo parecido. Ele dizia que tudo que existe está em movimento constante. Segundo Heráclito não se entra duas vezes no mesmo rio, porque na segunda vez que entrarmos o rio não será o mesmo, e a pessoa também não será a mesma.
As relações se desfazem porque as pessoas querem ter aquela, pra quem jurou amor eterno, sempre, mas isso é impossível, as pessoas mudam. Por isso a jura de amor eterno sincera permanece sempre sincera, porque a pessoa pra quem vc jurou amor eterno a cinco anos atrás não existe mais, nem ela nem vc são os mesmos. Vc é uma outra pessoa e ela também... É incrível como as pessoas mudam... Ontem eu vi isso! As vezes pra melhor, algumas vezes pra pior... Incrível...
A maneira mais rápida de perder o amor da pessoa que está com você é assegurar que ela jamais te deixará. O tio de um amigo meu sempre me dizia: “o amor é como um pássaro pousado no dedo, vai quando quer”, o amor não é afeito a gaiolas... Prenda-o e o perderá.
Ontem numa tal mesa de bar descobri outra coisa interessante, que ainda tem haver com essa conversa. Na nossa caminhada existencial há ao menos dois tipos de pessoas, às que caminham em direção à vida, que se movimentam para a vida, e aqueles que apenas passam pela vida.
Jovens cheios de vida vendem sua força de trabalho durante toda a semana, para que no final de semana possam ir a um bar beber e enquanto exibem suas ultimas aquisições: carro, som, celulares e algumas vezes namorada ou namorado... As conversas denunciam que há muito tempo abriram mão de pensar, apenas reproduzem os discursos postos, repetidos por todos, variando apenas detalhes. Passam pela vida mas não vivem, não desbravam a vida, não arriscam, deixam que outros decidam por eles, Não são sujeitos de sua caminhada existencial, apenas percorrem o caminho trilhado por todos os outros. Não vivem a vida, morrem a vida, cada dia menos um dia...

11 comentários:

Ana Paula Duarte disse...

"As relações se desfazem porque as pessoas querem ter aquela, pra quem jurou amor eterno, sempre, mas isso é impossível, as pessoas mudam. Por isso a jura de amor eterno sincera permanece sempre sincera, porque a pessoa pra quem vc jurou amor eterno a cinco anos atrás não existe mais, nem ela nem vc são os mesmos. Vc é uma outra pessoa e ela também... É incrível como as pessoas mudam... Ontem eu vi isso! As vezes pra melhor, muitas vezes pra pior... Incrível..."
Me cai como uma luva...E como vc escreve bem Marquinhos, pq demorou tanto em criar um blog hein?!
Vireii fâ!bjos...

gbbmedrado disse...

Essas são opiniões pessoais suas Marquinhos?
Me desculpe, mais muito me admira um pastor dizer que a criação é um mito... realmente, como vc mesmo disse as pessoas mudam... umas pra melhor.. outras pra pior....
Desculpe, eu não consegui me segurar...

Marcos Fellipe disse...

Gil... Algumas questões... Em um mundo plural, diverso, colorido como o nosso é complicado julgar as pessoas por suas crenças. As crenças não fazem das pessoas, pessoas melhores ou piores... Jesus demonstrou isto de maneira espetacular na parábola (genero literário da narrativa) do Bom Samaritano... O Bom Samaritano não tinha as mesmas crenças que Jesus... Já o Levita e o Fariseu tinham... Mas nessa questão acredito que nós dois temos a mesma crença... Vc interpretou mal e julgou apressadamente... A Criação não é um mito, afirmei em meu texto que o genero literário na narrativa é mítico... Ao contrário do que muitos pensam e afirmam, mito não é sinônimo de mentira... Mito era a forma como os antigos falavam sobre coisas indiziveis, usando linguagem simbólica... A forma literária racional, histórica que usamos hoje só começa a ser usada em uma época muito posterior a dos textos referidos... Posteriormente irei escrever sobre isso em meu outro blog... Espero vc lá... Continue comentando... Forte Abraço!!

Ana Paula Duarte disse...

Pastor Marcos, fico feliz ao ver um corajoso homem que, sendo um pastor ou não, tem a coragem de pensar sozinho e mais, divulgar seu pensar!!!
CRER TB É PENSAR...Bjos.

Marcos Fellipe disse...

Obrigado Ana!! Vc sempre gentil...

Elisângela disse...

Vc pensa bem menino!É uma pena que seja mal interpretado na maioria das vezes rsrsrsrs!!!!Beijão viu!

faby disse...

Gostei, tb acho que escreve bem. bjs

Gal disse...

Olá Marcos Fellipe, me chamo Glauce, sou de Jequié. Conheci seu blog através de Elba esposa de Messias. Eles são meus amigos!
Estou aqui lendo seu blog e confesso estar muito feliz, pois tenho me identificado bastante com seus textos. Gosto de textos questionadores, que sirvam como desabafo e sobretudo que me faz refletir. Fico muito feliz quando ainda encontro pessoas que partilham das mesmas inquietações que as minhas. Assim, me fortaleço!
Espero dialogar contigo.
Você escreve muito bem!
Tenho um blog também, da uma passadinha lá
http://variaspartesdemim.blogspot.com/
Saudações,
Em Cristo, esperança de nossas inquietações.

Dayana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayana disse...

Marcos,
me lembrei de duas citações que estão em minha "cabeceira": "As juras de amor não são mentiras, de maneira alguma. São verdades com prazo de validade"
e a outra é "Deixo as coisas que amo livres, se elas voltarem é pq as possui, caso contrário, nunca as tive..."

PS.: Tenho a impressao ou um Dejavu, sei lá (kkkkkkkkkkkkkkkkkk)de já ter lido esse final de texto em alguma redação sua da facul, rs.

Muito bom o texto, adoreeeei!
E a graça da vida e das pessoas sem dúvidas está nessa metamorfose... isso definitivamente me encanta, pois de certa forma me/nos garante a quebra de todo marasmo...!

Beijos

jefferson disse...

Esse meu amigo, como sempre deixando meninas e meninos intrigados, ele ama fazer isso.
Olha parceiro achei fantástico o fato de ter colocado esses textos aí. Você já sabe que sou seu fã e dos seus escritos. Bola pra frente parceiro e viva os amantes, viva o amor em seu tempo de validade! kkkkkkkk!!!!