segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Caminhos de um amigo Errante...

Homenagem ao errante Marcos Monteiro pelo seu aniversário de 60 anos!!!


Cheguei ao Seminário procurando caminhos. Com um mapa rasurado embaixo do braço, alegrava-me com meus companheiros quando recebíamos de nossos professores lupas novas. Sempre acreditávamos que com a nova lupa recebida encontraríamos o caminho certo, foi aí que em um desses caminhos topei com ele, um Errante. Mandaram-me ter cuidado, pois o errante caminhava na direção oposta a que eu precisava seguir, insisti em acompanhá-lo, pois esse errante parecia seguir um outro, Jesus de Nazaré. Rapidamente percebi que não havia caminhos, ele não caminha pelo caminho oposto, ele corajosamente desbrava caminhos. Era preciso desatar minhas asas e reaprender a voar, pois certamente diante de abismos ele não recuaria.

Com uma inteligência impressionante, Marcos escolheu viver uma vida simples, perto dos menores.  Desconfio que somente dos espaços de exclusão há chance de termos uma visão límpida da realidade e de nós mesmos.   Extremamente apaixonado por pessoas, sempre faz da oportunidade de encontrar e conhecer pessoas uma oportunidade de encontrar o Pai.
Certa vez, estava numa reunião de fundação de um grupo de identidade evangélica, que atuaria em âmbito nacional no campo da política, estavam lá muitos líderes e um deles era Marcos. No momento da apresentação, como de praxe, cada um falou seus títulos – doutorado no exterior era fichinha, comecei a achar que não era para eu estar ali, olhei pro lado e comentei com meu amigo Leo, calouro em Teologia: _Ei rapa! A gente vai falar o que? Leo rio, ele, pelo menos, era pastor da Igreja Batista em Morro de São Paulo. Na hora de Marcos, ele disse: _ Meu nome é Marcos Monteiro, sou amigo de Marquinhos e de Leo. Depois disso eu já sabia o que falar...
Marcos amigo é também mestre, desses que ensinam coisas essenciais, jogar dama, sinuca e ter bons olhos. Meus olhos viciados olhavam para lugares altos, os olhos de Marcos contemplam outros lugares, conseguem ver beleza e vida em lugares que poucos enxergam. O errante mestre e amigo é também um agitador, agita mentes, idéias e ideais com seu discurso sempre engajado, mas principalmente agita almas através do discurso mais impressionante que já ouvi de Marcos, sua vida.
Quando terminei o curso de teologia Marcos convidou-me para compor o colegiado pastoral da Comunidade de Jesus. Marcos é apaixonado pela vida, pessoas assim não têm tempo para gastar com meandros burocráticos de Instituições. Na primeira reunião que tive com Marcos para tratar dos assuntos da Comunidade, comemos, bebemos e nos intervalos das prosas falávamos sobre coisas mais sérias. Eu anotava tudo, estava determinado a escrever cada palavra que o mestre diria, e conhecer as minhas tarefas. Saí da reunião com uma lista, era uma lista de nomes de pessoas, muitas pessoas, pessoas que participaram da Comunidade que estavam longe, outras que estavam perto, pessoas que eram referencias para a Comunidade, nenhuma tarefa, pessoas, pessoas e pessoas...     Terminarei por aqui esse texto porque preciso ver meu amigo atrapalhado, que certamente vai errar o caminho quando vier em minha casa, e não vai lembrar onde deixou os óculos depois do estudo bíblico de terça, mas que continuará desafiando-nos a, de mãos dadas, encontrar, perceber, seguir, atravessar, cortar, dançar, celebrar caminhos que só olhos bons e atentos às coisas essenciais conseguem enxergar.

Parabens Marcos! grande privilégio caminhar contigo...


Feira de Santana, 20 de agosto de 2011.