terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Eterno Retorno

Eia todo o passado dentro do presente!
Eia todo o futuro já dentro de nós! eia!
Álvaro de Campos
Yeaahh!!

Três horas da manhã, na companhia do silêncio e da solidão que tem se tornado um vício, foi quando me deparei com uma mente aflita, que em seus devaneios chegou à célebre e estúpida conclusão que o riso é tolice e que a alegria de nada serve.  O rico e sábio Salomão falou-me sobre os movimentos da vida, as estéreis rotinas do tempo, enfadonhas ensimesmadas repetições.

O sol se levanta, o sol se deita, apresando-se a voltar ao seu lugar e é lá que ele se levanta. O vento sopra em direção ao sul, gira para o norte, e girando e girando vai o vento em suas voltas. Todos os rios correm para o mar e, contudo, o mar nunca se enche: embora chegando ao fim do seu percurso os rios continuam a correr. Todas as palavras são gastas e ninguém pode mais falar. O olho não se sacia de ver nem o ouvido se farta de ouvir. O que foi será, o que se fez se tornará a fazer: Nada há de novo debaixo do sol! (1)

Quase 4 horas, o amigo de um amigo meu, Frederico Nit, ouviu a angústia do coração do sábio Rei, subiu uma alta montanha e de lá lançou ao vento duras palavras que alcançaram as mentes e os corações como um pesado martelo destruidor de ídolos.

Nit inquire

E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez... (2)

E se??

Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderías: "Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: "Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?" pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! (2)

Pobre sábio amigo, conheceu tudo mas nada entendeu. Pobre rico amigo teve tudo mas nada era seu.
Minhas amigas invejam Salomão, querem riqueza e poder, pobre amigas, “nada há de novo debaixo do Sol”.
Cada escolha, escolhas eternas, cada momento vivido, momentos que retornarão eternamente, nada novo, só o eterno retorno.

Seis horas da manhã, o velho e cansado amigo percorre sua vida sua história e nada encontra: “Fiz obras magníficas, construí palácios para mim, fiz jardins e parques, Acumulei prata e ouro, escolhi cantores, inúmeras mulheres, nada que fiz me agradou, viver a vida é como correr atrás do vento.” (3)


A vida? Ela re-começa todos os dias... Vivê-la é muito perigoso... A cada e a todo momento, escolhas que se eternizarão... 
Eiiii!! O que vc fará hoje? Vamos escrever uma poesia juntos? Quero dançar! Vem?

______________________________________________________________

1 - Eclesiastes 1.4-9

2 - Nietzsche, Friedrich. A Gaia Ciencia, Aforismo 341
3 - Eclesastes 2. 4-8


12 comentários:

Aníssima Duarte* disse...

"viver a vida é como correr atrás do vento.” Uma infinita repetição? Um eterno retorno...Mais uma vez, um texto sábio, mas esse está diferente, está como um café meio amargo, porém quando temos uma enxaqueca sempre tomamos este café. Quero apreender estas palavras pra mim, mas sinto uma enooorme necessidade de correr atrás do vento, segura na minha mão, vamos!

Juliana Cordeiro de O.Silva disse...

A vida nos convida a re-inventala e a re-vivela todos os dias!
Num palco que é nosso, e no qual transitam tantos seres, cabe anós escolher o melhor par, segurar bem firme na mão dele e deixar que o corpo dance, dance e dance até entrar em transe.

Hahaha, não sei se dancei muito bem com as palavras, mas foi esta a melodia que este texto deixou em mim.


Belíisimas palavras sempre!!!!!!!

Dey disse...

Viver a repetição é o caos.
Viver a mesmice é o fim!
Viver por viver é melhor morrer.

O bom é viver pra ser...
O bom é viver pra cantar!
O bom é viver pra inventar!
O bom é viver pra não parar!

É bom quando algo dá errado na vida...
Isso me faz perceber que a vida não se prende a previsibilidade.
E assim, terei que viver e forma diferente...
E assim, terei que escolher outros caminhos...
E assim, terei que fazer outras e várias escolhas...

Valeu Marcos...

Gal disse...

"Porque a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada."(Cecília Meireles)

A cada manhã tento reinventar a minha...

Daise Melo disse...

Ahhhhh...quando crescer quero ser igual a você! rsrs Belo texto meu amigo,assim como todos os outros. Gostei muito de ver que concorda comigo,a vida re-começa todos os dias.Beeeijos

Léo disse...

Marquinhos tô afim de entrar nessa dança, pode ser a mesma música não tem problema, podemos tentar um passo “novo”, e se depois descobrirmos que não é tão novo assim, não importa, o que valerá mesmo será a gargalhada, essa será nova. rsrs... Forte abraço amigo!!!

Ana disse...

Não me chame não viu!!!quero escrever e dançar sim!!!Nossas escolhas se eternizarão, e as idas e vindas ciclos de vidas, dores e alegrias se repetirão em cem anos de solidão, o infinito, o eterno o ser e o refazer-se, vida, vida, tempo e tempo! Que se repitam as dores, que se repitam os risos, só não acabe a vida!!!Heia!!!

Jamile disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jamile disse...

Viver? Dançar? Huuum!!! Gosto das duas coisas simultaneamente, porque viver nada mais é do que passos repetitivos que fingem mudar com o embalo de cada canção...
Escrever?
"Escrever é uma pedra lançada no fundo do poço." Clarice Lispector

Já fiz minha parte, escrevi, mas preciso de um parceiro para dançar KD VC?

Aníssima Duarte* disse...

Só sucesso seu blog amoor, PARABÉENS!
Adoro dançar com vc nesta dança das palavras.! Um xerãaao!

Messias Brito disse...

Ninguém pode banhar-se duas vezes no mesmo rio, dizia Heráclito. Pois, não é exatamente a mudança, o novo, a surpresa e o inventado as forças que movem a roda da vida?
Tudo que permanece estático desvanece e morre! A experiência de criar talvez seja o poder (a potência) que mais nos aproxima dos deuses...

Anabel Pascoal disse...

A vida... algo complexo a lidar. Nossas escolhas, um simples gesto, um piscar de olhos, podem dilacerar a alma de um outrem... Difícil saber em que solo pisar... a quem realmente devemos amar... ou a quem entregamos nossa amizade."Vivê-la é muito perigoso..."

O que seríamos se não houvesse o alvorecer??

Vamos dançar, amigo!!!... no alvorecer de um novo dia, de um novo começo...