quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Sobre Deus, jardins e borboletas...

No princípio era um jardim, lá moravam a alegria, lindas borboletas e ela. Todas as tardes Deus descia do céu e passeava com ela, sua amada. Segurando em suas macias e frágeis mãos, mostrava-lhes as flores que havia plantado, cada uma um aroma especial, plantadas bem pertinho de um ribeiro de águas mansas e perenes, onde haviam passarinhos que entoavam canções de amor.

Um dia ela não quis mais passear com ele, queria espaço, queria pensar, ficar só. Os dias se passaram , a alegria se foi. Todas as tardes Deus esperava por sua amada, mas ela não voltava, então decidiu não mais ir àquele lugar que havia se tornado morada da solidão e da dor. No entanto para preservar o jardim, no qual viveu os momentos mais sublimes construiu um muro. "A tristeza é muro que separa jardins". E colocou  dois guardas para o proteger.

Mas ele deixou um sinal, as borboletas, na esperança que sua amada as vendo lembre-se do seu amor. E lembrando-se siga os passos do jardineiro que foi enviado para plantar caminhos, anunciando que tudo que foi ensinado, aprendido, determinado pelos Deuses ou por homens deve resumir-se em amar...

O desejo de Deus é amar e ser amado. O caminho de Jesus é o amor. Aquelas que amam conhecem a Deus... Quem não ama... Quem não se permite ser amada... Veja... Há borboletas...

Cecília Meireles escreveu um poeminha que diz tudo, o essencial, nada lhe falta...


“No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.


E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,


entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta.”

6 comentários:

Aníssima Duarte* disse...

Queria ser borboleta, ter um jardim, queria q Deus estivesse comigo nele...Mas, são dias difíceis...O que devo fazer? Vir aqui te ler já me enche de esperança...Bjo borboleto!

Léo disse...

Poxa Marquinhos,

Obrigado; esse post me fez entender o porque da beleza e gestos tão único que só as borboletas tem. Agora já sei, elas são as mensageiras do Deus Amante que nunca desistiu dos seus amores e ainda nos levará para seu jardim. Fantásticoooo!!!

Isabel disse...

Parabéns Marquinhos, o modo como vc escreve versando elementos poéticos e cotidianos é lindo, ainda mais a audácia de trazer metáforas divinas nas humanas criações, que revelam a grandeza de Deus.
Abraços!
Que a gente ouse ter sempre a grandeza de apreciar o voar das borboletas, o soprar do ventos, o cantar dos pássaros.

Dey disse...

Deus jamais seria Deus se não houvesse os Jardins e as Borboletas...
Assim: Deus, Jardins e Borboletas = Amor, graça, compaixão e misericorida...
Belo post meu nobre...

Aníssima Duarte* disse...

As borboletas podiam também ser o símbolo de esperança!Bjos.

Anabel Pascoal disse...

Quanta cor, quanta beleza e amor há em seu texto...

"A tristeza é muro que separa jardins."
Muito reflexivo...

Estou desconstruindo muros em minha vida... Pois vejo borboletas voando para seu outro lado... Quero conhecer o verde de outras folhas e o cheiro de outras pétalas.
Caso não tenha força, voarei até lá em asas colorindas...