sábado, 5 de fevereiro de 2011

Conversa sobre Tempera, sofrimento e anjos!

Fui Torneiro Mecânico durante 10 anos da minha vida, orgulhosamente tenho a mesma profissão do presidente Lula...
Trabalhar como torneiro mecânico na área da PETROBRAS me ensinou coisas que carrego pra vida inteira. As principais foram: saber receber ordens; fazer greves; lutar pelos direitos dos outros; dar “nó”, (termo técnico para: “enrolar o chefe”); e fazer de tudo para não perder um serviço  (não há problemas sem soluções, primeiro diga que dá pra fazer, depois veja se dá mesmo. E se não der, dê um jeito, mas faça!).

Têmpera é um tipo de tratamento de metais. Com a têmpera podemos mudar suas características. O aço, por exemplo, tem em sua constituição uma quantidade x de carbono. A quantidade de carbono diz sobre a dureza e resistência do aço, quanto mais carbono, mais duro.

Como há pessoas frágeis, também há metais frágeis, os muito duros são frágeis porque se tornam muito quebradiços, e os macios são frágeis porque não tem resistência.
Quando o metal é muito macio, ele precisa ser temperado, este é submetido a altíssimas temperaturas e logo após um resfriamento brusco, com isto as moléculas de carbono tendem a ir para as extremidades do aço, tornando-o mais resistente em suas extremidades, onde ele precisa, pois é ali que vai receber o impacto.

O metal sofre para se tornar apto ao trabalho.

Em conversa com um amigo torneiro, ele me dizia que somos assim, precisamos sofrer para nos tornarmos aptos à vida. Quem não viveu momentos tristes que machucaram tanto que parecia q não iria resistir?

Ninguém deseja esses momentos, mas a verdade é que precisamos deles.

Meu amigo torneiro vem tentando aprender com os poetas, já consegue ver nas coisas tristes e nas pedras do caminho possibilidades de beleza e de alegria. Consegue ver a alma das coisas. Consegue sonhar. Entrar na realidade rompendo com a ditadura do real.

Disse-me que Deus foi muito bom com ele, pois sabendo que ele tinha que sofrer para aprender a viver, para ser resistente... mandou ela...

Ela era um ser incrível, era um anjo de Deus, quando o conheceu desobedeceu a Deus e veio viver com ele, queria viver como um humano. E foram felizes, mas logo veio o sofrimento, pq Anjos não são humanos... Anjos seguem regras, as regras os aprisionam... Por isso meu amigo torneiro sofreu, e sofreu, e sofreu...

_Mas ela era um anjo! Entendeu Gabirú? Deus foi muito bom pra mim, os momentos que vivemos foram mágicos, encantados, sublimes... Experimentei coisas que me marcaram para sempre, me senti perto de Deus. Ela se foi! Mas Deus a enviou para me tornar resistente, por isso sofri tanto.

Triste, meu amigo tomou o seu caminho, mas percebi claramente que ele era outro, mais forte e apto para enfrentar os mais árduos e penosos desafios da vida.

4 comentários:

Aníssima Duarte* disse...

É difícil pra mim comentar sobre este texto. Mas vou me limitar a dizer meu querido, que se vc já era assim, beeem grandão pra mim, seu tamanho triplicou, QUADRUPLICOOU!

Eu não fui torneira mecânica, pra aprender sobre td isto, mas que bom que tenho vc pra me ensinar.
E vamos seguir no caminho, com as lembranças boas...E que bom que seu amigo encontrou um anjo em seu caminho, pois há pessoas que ao contrário encontram a figura do cão, e que anjo sortudo, esse!...Mas, há flores no caminho, caminhemos.

Brilhante, brilhante!BEIJOS.^^

mima disse...

Tão impactante que ainda estou assimilando.Se reconhecer em um conjunto de palavras.POxa! haja reflexão!
Você como sempre meu Pr.!

Elisângela disse...

Ninguém deseja esses momentos, mas a verdade é que precisamos deles.
Êlaiááá,vc nos faz bem Marcos.Consegue nos fazer experimentar um mosaico de sentimentos,e é muito bom!
Mais uma vez Parabéns!!!

Anabel Pascoal disse...

Amigooo, aplica-me carbono! rsrsr... Estou precisando para resistir aos impactos devastadores desta vida.