sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Palavras Aladas!

Palavras são entes misteriosos. Há palavras que são domésticas, ou facilmente domesticadas, no entanto há palavras que são seres ferozes, criaturas aladas, que não são afeitas a gaiolas.

Uma das maiores ilusões que há no mundo em relação às palavras, é pensar que elas são símbolos ou sinais que representam a realidade. As relações entre realidade e as palavras são muito mais complexas do que isso. A realidade que conhecemos não seria a mesma se não fossem as palavras. As palavras contribuem com a construção disso que chamamos de realidade. Percebemos o mundo usando a mediação das palavras.

Na escola não aprendemos assim, na escola aprendemos conceitos. Conceitos são tentativas de aprisionar as palavras. O conceito é uma cerca de palavras que tenta delimitar, definir o espaço daquela palavra. Mas a verdade da palavra não está nos conceitos, está no uso. As palavras são mais que seus conceitos.

Os textos sagrados traz uma característica importante das palavras. Em Genesis 1 por exemplo a Palavra tem o poder de criar mundos, criar realidades. “E disse Deus: ‘Haja luz.’ E houve luz.”

Certa vez levei uma menina que gostava para comer num restaurante desses que não fizeram pensando em pessoas como eu. Para impressioná-la pedi uma comida dessas que tem nome estranho. Ela me acompanhou no pedido. O prato estava uma delícia, o sabor, o aroma agradabilíssimo e belíssimo aos olhos, perfeito. Mas alegria de pobre não dura muito. Ela gostou tanto que queria saber o nome, o que era que ela estava comendo. O maldito garçon disse: Miolo de macaco! Era como se instantaneamente aquilo que era gostoso e agradável se transformasse em algo repulsivo. Ela não agüentou muito! Foi ao banheiro vomitar! Duas palavras, e meu jantar foi destruído.

Duas pessoas estavam conversando no MSN. Papo agradável, conversa interessante que fez bem as duas, isso só aconteceu porque uma palavra foi escondida, um nome não foi citado, se ele surgisse tudo desabaria. Nomes são prisões. Meu nome é uma prisão que carregarei por toda a vida, todas as vezes que ele é invocado, traz consigo uma representação de mim, esse algo que não sou eu, que as vezes faz bem, mas que as vezes incomoda.

A palavra “buraco” poucos dias atrás não representava muita coisa para mim, apenas uma palavra que ouvia repetidas vezes nos noticiários locais, mas pode ficar certo que não mais vou esquecê-la. Experiência traumatizante ser emburacado!

Trabalhei com os jovens da minha igreja e nomeamos o projeto de Juventude Alternativa: Jovens Santos e Revolucionários. Essa palavra “revolucionários”, me trouxe inúmeros problemas, criou na mente dos jovens um desejo por transformações e medo na mente dos outros irmãos da igreja. "Sabiamente" o pastor, mesmo vendo que o trabalho ia bem, após um ano, acabou com o ministério.

Assim como no uso das palavras nós as modificamos continuamente essas mesmas palavras nos modificam, nos transformam.

Minha amiga Panmelie diria: "Simmmmmm!!! Pra que serve isso?" Serve pra muitaaa coisa, muita mesmo.
Só uma coisa pra o post não ficar grande...
A palavra "Deus" por exemplo, é um nome que tenta representar algo, mas a palavra não é esse algo, nem o nome Iahveh. Cada pessoa que pronuncia esse nome traz em sua mente uma representação criada a partir de suas experiencias, ogo isso quer dizer que quando eu falo "Deus", talvez não esteja falando a mesma coisa que você fala quando diz "Deus". Toda tentativa de conceituar ou definir Deus é uma redução... 

2 comentários:

Gal disse...

Nas palavras do Rubem Alves “Deus está sempre além das palavras, no lugar onde as palavras não chegam, onde só existe o silêncio.”

Dayana disse...

Super curti o texto.
Pra mim o mais encantador das palavras é o poder que elas tem de modificar o seu significado com o passar do tempo..! De ser tantas coisas em N contextos! rsrsrs